Copiaram o meu Vestido Dourado no MET Gala 2018 😱

Não querendo me achar, mas só pra avisar que VIREI TRENDESETTER! Pois é, lancei moda com o look que criei para o casamento da minha irmã, que consistia em um vestido dourado com fenda. Ontem no MET Gala não deu outra, muitos vestidos nesse estilo foram desfilados pelo red carpet, inclusive da nossa beldade nacional, Gisele Bündchen!

O casamento da minha irmã foi em Março de 2017 e o MET Gala foi em Maio de 2018. Do the math! hahaha

BITCH STOLE MY LOOK!

Vamos começar pelo mais óbvio: o look da Olivia Munn! Ela não contente em plagiar meu vestido, ainda copiou o tom do batom e o cabelo solto. Feito pela H&M.

E o que falar da Emily Ratajkowski, que copiou até as mangas longas? Assinado pelo Marc Jacobs.

Até minha musa mor, Kim Kardashian! Ainda é Versace, minha marca favorita. Que ousadia!
A prova de que ela lê meu blog é que o outro look usado no after é um clássico da Versace que eu falei sobre outro dia por aqui tb! EXATAMENTE O MESMO! Coincidência? Acho que não.

Outra musa, Ashley Graham, mudou o tom um pouquinho para disfarçar o plágio criado por Prabal Gurung.

E o que falar dessa versão “pobrinha” Versace da Gisele Bündchen?

E a versão ryqueza da Irina Shayk? Também Versace.

Kerry Washington usou uma versão mais comportada feita pelo Ralph Lauren.

Joan Smalls bem glamourosa by Tommy Hilfiger.

A Jasmine Sanders já optou por uma versão mais rococó barroca rebuscada da H&M.

E essa versão mini da Katy Perry? Também Versace.

Temos também a versão conceitual do Altuzarra, usada pela Evan Rachel Wood.

E a versão carnavalesca by Dolce & Gabbana da Sarah Jessica Parker.

Outra de Dolce & Gabbana, foi a Anya Taylor-Joy.

Eu novamente para mostrar que acertei até o tema de deusa dourada do catolicismo.

.

O POST CONTÉM IRONIA

Preciso avisar que o post é uma brincadeira? Acho que está bem óbvio, né?

Anúncios

Adaptive – a linha de roupas para deficientes físicos da Tommy Hilfiger

A Tommy Hilfiger revelou esta semana sua nova linha de roupas Adaptive, que tem como objetivo tornar a hora de se vestir uma tarefa mais fácil para pessoas com deficiências.

Em 2016, a Tommy Hilfiger fez uma parceria com a Runway of Dreams, uma organização sem fins lucrativos focada em “promover a comunidade com capacidades diferentes na indústria da moda”, e juntos criaram sua primeira linha de roupas adaptáveis. Desde então, a empresa tem trabalhado arduamente em seus projetos para tornar sua roupa mais inclusiva possível.

A nova campanha publicitária mostra grandes nomes na comunidade de deficientes, como o medalhista de ouro paralímpico Jeremy Campbell, a dançarina Chelsie Hill, a blogueira e palestrante motivacional Mama Cax e o chef Jeremiah Josey.

Resultado de imagem para jeremiah josey tommy hilfiger

A linha de roupas apresenta soluções de design inclusivas, como botões magnéticos nas camisas e até nas barras das calças, facilitando o uso com próteses.

Há também fechos de velcro, que substituem zíperes e botões tradicionais.

A coleção inclui até golas fáceis de abrir, projetadas para fazer com que as roupas deslizem e saiam de uma maneira bem menos complicada.

De acordo com um comunicado de imprensa, a missão da linha adaptável Tommy Hilfiger é:

” ser inclusiva e capacitar pessoas de todas as habilidades para se expressarem através da moda”.

A coleção é linda e espero que em breve outras marcas sigam o exemplo, lançando suas próprias linhas de vestuário inclusivo. Principalmente as fasts fashions, né?

Resultado de imagem para jeremiah josey tommy hilfiger

R.I.P. Hubert de Givenchy

Hubert de Givenchy foi um dos maiores estilistas de todos os tempos. Apesar de ter um gosto refinado e atemporal, reestruturou a moda de Paris e do mundo, quebrando o estilo “New Look” da Dior e devolvendo a liberdade para a mulher, com silhuetas confortáveis e soltas.
. Continue lendo “R.I.P. Hubert de Givenchy”

Versace – a volta do sexy clássico e artístico transgressor

Versace – a volta do sexy clássico e artístico transgressor

A Versace é a minha marca queridinha do coração e eu não poderia deixar de mostrar para vocês as peças que mais gostei no último desfile da Milão Fashion Week. Depois de todo o sucesso estrondoso da coleção passada, onde as grandes modelos dos anos 90 celebraram o desfile que homenageou o Gianni Versace, nessa temporada o resgate da verdadeira essência da casa foi o que chamou a atenção. Continue lendo “Versace – a volta do sexy clássico e artístico transgressor”

Desfile da Gucci – as cabeças cortadas, o manifesto ciborgue e nossa construção social milimétrica

Desfile da Gucci – as cabeças cortadas, o manifesto ciborgue e nossa construção social milimétrica

A Milão Fashion Week ainda nem terminou e eu já quero eleger o desfile da Gucci como o melhor da temporada!

Alessandro Michele está de parabéns pelo conceito genial e trabalho artístico utilizado. Uma sala cirúrgica como passarela, cabeças humanas como acessório, terceiro olho, bebê dragão, cobra, camaleão e uma volta ao mundo em uma versão ciborgue! Continue lendo “Desfile da Gucci – as cabeças cortadas, o manifesto ciborgue e nossa construção social milimétrica”