10 anos de abstemia!

sininhu-sylvia-santini-drink-cheers-blog-got-sin

Essa semana completou exatos 10 anos que sou abstêmia, ou seja, 10 anos sem ingerir nada de álcool.

Entrando quase na minha 3ª década de vida, as pessoas não estranham mais tanto quando eu falo isso (pensam que é um sinal de maturidade), porém, tive que ouvir muitos comentários surpresos das pessoas ao meu redor até aqui, principalmente em festas. “Nossa, você não bebe? Que estranho!” ou “Bebe só um golinho!” e o clássico “Ah, é para manter o corpinho, né?!”

Minha abstemia não tem motivos religiosos, fitness, estéticos e muito menos foi imposta por dogmas antiquados. Quando a gente começa a analisar o porquê dessas necessidade de TER que beber, percebemos o quão ridículo e prejudicial isso é.  Eu escolhi não ingerir mais álcool pela minha saúde. Vivo muito feliz sem dores de ressaca e me divertindo sem muletas psicológicas. Eu não preciso mascarar minhas inseguranças e aprendi a conviver com a minha timidez. Não estrago o meu corpo para que uma festa ou companhia chata se tornem legais. Também não me importo se os outros ao meu redor continuem bebendo. Já estou acostumada a ser A DIFERENTONA do rolê.

Um brinde de água. Ou suco de uva. Ou água de côco. Ou chá de erva-doce com açúcar.  E até de Moloko! haha

Anúncios

Não se diminua para satisfazer os outros!

“Você poderia se diminuir para que eu possa me sentir bem com a minha masculinidade?”

Qualquer pessoa – amigo, namorado, parente, seguidor de rede social – que te faça se sentir dessa maneira, deve ser excluído da sua vida. Mantenha perto de você apenas pessoas que celebram a sua grandeza, quem te encoraja e te apoia. Preste atenção nas piadinhas e comentários que escondem essa intenção de te diminuir. As pequenas coisas podem afetar enormemente alguém e isso vale para pessoas de todos os sexos. Aperte o botão de “block” sem dó!

Todos nós somos gigantescos e importantes!
Lembre-se disso.

créditos: @ouvra