Fadinhas na Vogue Japão

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 06

Mais fotos lindas para nos inspirar e encantar! Dessa vez a responsável por elas é a Ellen Von Unwerth – uma das minhas fotógrafas favoritas! O mais incrível é que o editorial tem a temática de fadas e traz toda a leveza necessária para encher os nossos olhos com esses seres mágicos.

Acredito que as Fadas de Cottingley tenham sido a principal influência desse editorial, visto que os looks são bem semelhantes com aqueles usados no início do século passado. Para quem não conhece essa história, duas primas – Elsie Wright e Frances Griffiths – viviam em Cottingley, na Inglaterra em 1917, e tiraram duas fotos de fadas no jardim da casa delas. Isso chamou tanta atenção do público, que até o escritor Sir Arthur Conan Doyle ♥ (o pai do Sherlock Holmes) as usou para ilustrar um artigo sobre fadas que ele havia escrito para a edição de Natal de 1920 de uma revista de grande circulação. Claro que as fotos foram enviadas a peritos em falsificações, mas nenhum foi capaz de descobrir como as meninas conseguiram forjar tão bem as imagens. A verdadeira história só foi revelada em 1980, quando elas admitiram ter usado recortes de papelão de fadas retirados de um livro infantil. Porém, Frances afirmou que a quinta e última fotografia era real.

Essa é uma das histórias que eu mais amava quando criança – tinha até um filme sobre isso -, pois sempre amei fadinhas e isso despertava uma pequena esperança de que elas realmente pudessem existir.

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 07

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 05

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 08

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 04

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 03

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 01

fotos de fadas vogue japão ellen van unwearth 02

Eu acredito em fadas!
E vocês?

10 dicas de Filmes para o Halloween

Para falar sobre filmes, convidei o meu irmão William Santini, já que ele é cinéfilo e tem dicas ótimas sempre. Claro que aqui no blog as coisas são mais descontraídas, então não se preocupem com aqueles reviews mimimis de críticos.

Começando com o pé direito, ele selecionou 10 filmes que valem a pena assistir no Halloween. Incluíndo suspenses, terror e alguns clássicos. Preparados?

A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça: É o filme que tem mais a ver com o Halloween. A história é baseada no conto clássico americano com o famoso personagem Ichabod Crane – interpretado por ninguém menos que Johnny Depp. O ambiente escuro dá todo o clima de suspense, como quase todos os filmes de Tim Burton.

– Johnny Depp, Christopher Walken, Christina Ricci, Christopher Lee – Tim Burton

.

O Iluminado: O clássico dirigido por Stanley Kubrick, baseado no livro do mestre do terror Stephen King. Na minha opinião, ele é um dos melhores do gênero. Prepare-se para bons sustos.

-Jack Nicholson – Stanley Kubrick

.

Hora do Pesadelo: Assistam a versão original e não o remake! É escrito e dirigido por Wes Craven, o gênio que criou o Freddy Krueger – o melhor personagem de terror já inventado. Foi o primeiro filme do Johnny Depp. Bons sonhos!

– Johnny Depp, Robert Angle – Wes Craven

.

1408: É um terror psicológico, daquele tipo que confunde loucura e realidade, baseado em um livro do Stephen King. O personagem principal é um escritor cético especializado em casos paranormais de lugares famosos. Ao chegar no hotel ele é avisado para não entrar no quarto 1408, pois coisas terríveis acontecem com quem se hospeda ali. O resto vocês já devem imaginar… só que é muito pior!

– John Cusack, Samuel L. Jackson, Tony Schalhoub – Mikael Håfström

.

A Última Profecia: A história do filme é inspirada na famosa lenda americana do Mothman – o Homem Mariposa. Lendo assim, parece até meio trash, mas o filme tem um ótimo suspense, com cenas bem macabras. Para quem curte lendas urbanas, esse é um ótimo filme.

– Richard Gere, Debra Messing – Mark Pellington

.

A Chave Mestra: Mais um suspense psicológico que te prende até o fim. É impossível adivinhar o que acontece com a personagem durante a trama. Não é aquele tipo de filme clichê que já estamos cansados de assistir, ele é surpreendente e inteligente. Vale a pena assistir, basta acreditar. My grandma and your grandma were sittin’ by the fire…

– Kate Hudson – Iain Softley

.

A Rainha dos Condenados: Lestat, o personagem principal, talvez tenha sido o último vampiro de verdade criado na literatura (cof cof… desculpa crepusculétes). O filme é baseado no livro de Anne Rice e tem a melhor trilha sonora que um filme de terror poderia ter: MUITO ROCK, BEBÊ! Jonathan Davis (Korn), Linkin Park, Static-X, Disturbed e Marilyn Manson. Tudo isso para interpretar o Lestat, vampiro que saiu do túmulo e foi acordado pelo som do metal.

– Aaliyah, Stuart Townsend – Michael Rymer

.

Amigo Oculto: Vocês devem ter percebido o quanto eu gosto de filmes com finais surpreendentes. Pois é, esse é mais um deles. David (Robert) muda-se para uma nova casa com sua filha para tentar recomeçar suas vidas, após o suicídio de sua mulher. A menina tem um amigo imaginário bem inusitado (e perigoso). Come out, come out, wherever you are…

– Robert De Niro, Dakota Fanning, Famke Janssen – John Polson

.

O Ritual: Já aviso que esse filme dá medo se você for sensível. A história é de um padre cético que aprende na marra o que é exorcismo. O negócio é tão complicado que até o Anthony Hopkins é ‘atingido’ no filme. Se você tem medo de mula, não assista.

– Anthony Hopkins, Alice Braga, Rutger Hauer – Mikael Håfström

.

Madrugada dos Mortos: Como falar de Halloween sem mencionar zumbis? Impossível! Nesse filme um grupo de pessoas passa o tempo todo refugiado no shopping, tentando sobreviver a um ataque brutal de zumbis. Ao mesmo tempo, tentam conviver em sociedade, apesar dessa não existir mais. Ótima direção e litros de sangue.

– Sarah Polley, Ving Rhames – Zack Snyder

.

BÔNUS

O Lobisomem: É o remake do clássico de 1941. Por ser uma refilmagem, o filme superou as minhas expectativas, é muito bom. Os lobisomens de verdade estavam extintos dos cinemas, até então. O mais legal é que a história é contada sobre a perspectiva do vilão, que tem seus instintos divididos entre ser um homem e um lobo. Crepúsculo, bite me!

– Anthony Hopkin, Benicio Del Toro, Hugo Weaving – Joe Johnston