LOUBHOUTAN: algum lugar entre o céu e a terra

Um viajante insaciável, Christian Louboutin já visitou incontáveis países ao longo dos anos, mas um deles se manteve em sua imaginação desde sua adolescência: o reino do Butão. O sonho de visitar esse lugar misterioso finalmente aconteceu em 2012, quando Christian fez sua primeira viagem para o reino, descobrindo uma cultura tão rica quanto ele já imaginava. Ao desenvolver uma relação próxima com o povo butanês, o seu fascínio pela cultura e artesanato local deu vida à coleção LouBhoutan – o encontro perfeito de culturas, combinando o savoir-faire butanês e o olhar criativo de Christian traduzido em 13 modelos preciosos de edição limitada.

Trabalhando de perto com os alunos do Instituto Nacional Zorig Chusu, também conhecido como “Escola das 13 Artes”, as bases de cada peça foram criadas no Butão enquanto as superiores foram desenhadas por Christian e feitas na Itália. Demandando uma enorme quantidade de talento, habilidade artística e paciência, cada um dos treze modelos apresenta plataformas e saltos esculpidos à mão, fazendo com que cada peça seja completamente única.

“Nada no Butão é básico, da arquitetura à moda, tudo é cheio de detalhes, padrões estilizados e cor”, disse Christian

No Butão, assim como na coleção, os detalhes reinam. Sejam os lótus budistas ou monstros, flores do Himalaia ou arabescos típicos, a coleção está repleta de simbolismo místico e iconografia tradicional. Uma referência direta à reputação do Butão como o “Teto do Mundo”, nuvens estilizadas e gradações delicadas interpretam as cores do céu no nascer e no pôr do sol, adornando muitos dos modelos que chegam com detalhes em seda e saltos de madeira pintados à mão. O tema de nuvem mística no veludo azul faz uma referência à busca singular do país por satisfação emocional e felicidade.

Como um tributo pessoal à imensa beleza do Butão, o desejo de Christian em manter a autenticidade e o trabalho artesanal no coração do processo criativo pode ser claramente observado através da natureza excepcional de cada uma dessas peças únicas.

O que eu mais gostei é que a coleção foi apresentada de uma maneira espetacular em uma réplica do trem Expresso do Oriente (sim, o mesmo da Agatha Christie), mas renomeado de Louboutin Express.

Próxima parada, LouBHOUTAN!

 

http://www.christianlouboutin.com

@LouboutinWorld #LouboutinWorld

*divulgação

Retrospectiva GOT SIN? 10 anos – 2011 – Lingerie Day

RETROSPECTIVA GOT SIN?

2011

Quebrando a internet brasileira.

 

Uma blogueira de moda tirando foto de lingerie? QUE OUSADIA! Em um país onde todas as fashionistas queriam ser a Blair Waldorf sem graça, nunca me apeteceu seguir regras de bons costumes com o vestuário e muito menos usar uniforme. Afinal, o GOT SIN? foi criado para quebrar barreiras e exibir moda sem pudores. O look do Lingerie Day foi tão polêmico que as minhas fotos estamparam todas as capas dos maiores portais de notícias do Brasil!
  ⠀
Enquanto na década de 1960 as pessoas se chocavam com uma minissaia, no começo da década em que vivemos o motivo de alarde eram fotos com lingerie. Mas eu acredito que para haver um equilíbrio na sociedade as coisas precisam chegar de forma exagerada, como um susto, e só depois é que vão se adequando e normalizando. O fato de ser ou não libertador tirar fotos assim depende muito do contexto, do tempo e da sociedade em que a pessoa vive. Sempre soube que eu não era uma “mulher objeto”, eu tive (e tenho) controle sobre toda a minha narrativa na hora de produzir, modelar e divulgar as imagens. Dentro do contexto em que eu vivia – em uma cidade gaúcha conservadora pudica onde tudo é pecado – me senti livre. Hoje qualquer blogueira está por aí exibindo looks de biquíni, lingerie e roupas curtas de academia, mas alguém teve que abrir essa porta na marra algum dia. Alguém levou muitas pedras nas costas para toda e qualquer mínima liberdade que conquistamos pudesse ser usufruída – eu só tenho que agradecer todas as feministas que fizeram com que eu tivesse a autonomia e poder de escolha para isso tb. O meu feminismo não é cerceador, eu me sinto bem de lingerie do mesmo jeito que algumas mulheres se sentem empoderadas com maquiagem, por exemplo. Eu amo o meu corpo por completo! O que os outros vão pensar de desagradável é problema deles e, mesmo não gostando, precisarão me respeitar. Não é por que estou de roupa curta ou comprida que a minha permissividade e condescendência muda.
P.S.: Para quem acha que eu precisei photoshopar o meu corpo, fiz questão de publicar um vídeo inédito dos bastidores nos Stories. 💅

Este mês eu trago um especial no Instagram para celebrar os 10 anos do GOT SIN?! Acompanhe a hashtag #gotsinRETRO , os stories e o blog para não ficar de fora!

💋