Hip Hop, street style e a valorização da Moda – Marc Jacobs

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-68

Nem preciso assistir todos os desfiles para eleger o meu favorito dessa temporada do NYFW, pois o Marc Jacobs chegou lacrando com tudo. Um belo tapa na cara da nossa sociedade hipócrita, que tinha transformado a moda em bagunça, transferindo-a para segundo plano nos principais eventos das semanas de moda do mundo inteiro.

Com uma simplicidade poética, Marc Jacobs deixou a moda falar por si em um dos desfiles mais minimalistas que ele já produziu. Sem distrações – não tinha música, nem cenário e até os celulares foram proibidos naquele momento – foi claramente uma tentativa de resgate ao que realmente era importante ali: as roupas e acessórios.

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-67

Apesar de parecer óbvio o objetivo de um desfile, a maioria dos seus frequentadores está ali por outras conveniências que não são a moda. Virou um evento social oco, onde parece ser mais importante sentar na primeira fila ou dizer que foi naquele evento como uma espécie de troféu fashionista (mesmo não tendo absorvido nada dele). Todos querem ser influentes, mas acabam influenciando apenas mais daquela cultura vazia que vemos aos montes nas colunas sociais de qualquer cidadezinha (e agora no Instagram). Os panos pendurados nas modelos e todo o trabalho daquele estilista acabam relegados.

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-60

Então depois desse VRÁ na cara de muitos, começou o show de verdade. A nova coleção foi inspirada no Hip Hop e a importância dele para o desenvolvimento do street style. Marc Jacobs diz que assistiu ao documentário Hip-Hop Evolution na Netflix, que mostra a evolução desse gênero musical dos anos 70 aos 90 e como essa cultura riquíssima foi transferida para o nosso cotidiano naturalmente:

“Como nasci e cresci em Nova York, foi durante a minha época na High School of Art and Design que eu comecei a ver e sentir a influência do hip-hop nas outras músicas e também na arte e estilo. Essa coleção é a minha representação do estilo causal esportivo. É um reconhecimento e um gesto do meu respeito pelo polimento e consideração aplicados à moda de uma geração que será para sempre o fundamento do estilo de rua da cultura juvenil.”

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-64

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-29

Observando os detalhes, percebemos que tudo foi pensado para ser usado nas ruas mesmo. Não há nada ali que não possa fazer parte do nosso guarda-roupa. Talvez apenas os chapéus exagerados se reconfigurem um pouco, mas gostei que eles tenham aparecido dessa maneira bem evidente, pois é um sinal de que o estilista apostou forte nessa tendência e a gente pode se divertir bastante com peças mais enxutas (sou suspeita para falar, pois eu amo chapéus!). Amei as cores nude, marrom e dourado praticamente dominando a paleta do desfile. Os colares gigantes (bling-bling ♥), os casacos com pelúcia (no caso do desfile, acredito que sejam peles de verdade, infelizmente) e os microcompimentos tocam o meu coração.

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-51

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-14

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-02

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-07

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-12

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-09

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-47 marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-08

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-18

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-16

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-57

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-11

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-15

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-13

marc-jacobs-street-style-estilo-de-rua-cultura-hip-hop-desfile-de-moda-outono-inverno-2017-blog-got-sin-56

Por mais desfiles ricos em cultura e menos futilidade! ❤

Anúncios

Meu look: Meet the Ozzy

ozzy-cachorro-border-collie-meu-look-sininhu-sylvia-santini-blog-got-sin-01

Ano passado, depois que o cachorrinho da minha avó partiu, ela estava muito sozinha e triste, sentindo falta de uma companhia. Para curar essa ferida, resolvi dar um novo cachorro para ela – acho que o amor deles é o melhor remédio para tudo – então pesquisei bastante até encontrar um que fosse adequado às necessidades e realidade dela. Queríamos um cachorro grande, pois ela tem pátio com grama, mas que não fosse agressivo – o Mike já a havia mordido recentemente e foi um trauma muito grande, tanto físico quanto emocional, então isso não poderia se repetir. Também precisava ser um filhote, pois seria mais fácil para ele se acostumar com os comandos e rotina dela. Por incrível que pareça, não achei em nenhum lugar um vira-latinha assim, pois a adoção é sempre a primeira opção aqui em casa. Os grandes geralmente já estavam adultos e muitos tinham mistura com raças agressivas, o que dificultaria muito a adaptação com uma senhora de idade. Então, no final das contas, resolvi comprar um Border Collie de um canil confiável.

Eu sei que muitas pessoas vão me jogar pedras e julgar por ter comprado um cachorro, mas acredito que as raças estão aí para suprir certas necessidades de quem ama um cão mas tem restrições. Não compro pela beleza e nem para fazer de acessório, tenho muito respeito pela vida e sei que um vira-lata tem o seu valor tanto quanto um animal de raça – a primeira Lili, a segunda Lili e o Lupi que o digam. Nesse caso foi necessário comprar um padrão específico de personalidade e porte, mas não será menos amado do que qualquer outro cachorrinho.

Processed with VSCO

Essas fotos foram tiradas quando ele chegou, no dia 30 de Outubro, por isso ainda estava bem assustadinho, meio jururu por ter enjoado no carro e desconfiado com tanta gente ao redor dele. Mas alguns dias depois já estava bem adaptado e feliz com a minha avó.

Nem preciso falar que a Vó Ni AMOU a surpresa, né? Ela que é apaixonada por cachorros desde criança, abriu um sorriso que está durando até hoje! No início tínhamos algumas sugestões de nomes para ele, mas ela escolheu Bolt, por causa do desenho da Disney. Como ela tem origem alemã, não conseguia pronunciar muito bem e no outro dia mesmo já pediu para eu escolher outro mais fácil, então decidi colocar Ozzyela nem imagina que seja por causa do cantor do Black Sabbath. 😂

P.S.: Meu look todo rosa é por causa de um evento filantrópico do Outubro Rosa que eu tinha ido pela manhã, então não se assustem com o excesso monocromático.

ozzy-cachorro-border-collie-meu-look-sininhu-sylvia-santini-conjunto-veludo-rosa-blog-got-sin-02

Processed with VSCO

Conjunto veludo: Cativa | Tênis: Vans | Óculos: Renner

Compre Similares:

…….oculos1vansjuicy-couture1juicy-couture2