A polêmica do shorts na escola

i dress for me blog got sin girl power shorts roupa curta

Algumas alunas do Colégio Anchieta de Porto Alegre resolveram protestar contra a proibição de shorts na escola. O motivo principal dessa revolta não foi pelo short em si, mas pela justificativa utilizada pela direção, que baniu a vestimenta para que os meninos não se distraiam.

NÃO É SÓ PELO SHORTINHO!

É sempre esse mesmo argumento. Ouvi isso em 2003, quando era impedida de frequentar a aula por estar usando camiseta baby look no colégio onde eu cursava o Ensino Médio. Em 2009 atacaram animalescamente a Geisy Arruda na faculdade. Essa atitude se repete há anos com diversas outras meninas e instituições de ensino.

“Quando você interrompe a aula de uma menina para forçá-la a mudar de roupa ou mandá-la pra casa por que o short dela é “muito curto”, você está dizendo que garantir que os meninos tenham um ambiente de aprendizagem livre de “distrações” é mais importante do que garantir a educação dela. Ao invés de humilhar meninas pelos seus corpos, ensinem os meninos que elas não são objetos sexuais.”

O parágrafo anterior foi retirado do abaixo-assinado que as meninas do Colégio Anchieta escreveram e não poderia expressar melhor a real questão de toda essa história de “roupa curta”. Alegar que as mulheres se vestem com intenção de chamar atenção dos homens é incentivar a cultura do estupro.

Os homens precisam ser educados para que entendam que as mulheres não usam shorts, blusas, saias, ou o que seja, com a intenção de CHAMAR ATENÇÃO DELES! Nós não existimos apenas para os satisfazer sexualmente. Não somos objetos. Não estamos disputando com outras mulheres a sua atenção. Só queremos liberdade para nos vestirmos sem que isso seja confundido com algo sexual. Não é.

“Ao invés de humilhar meninas por usar shorts em climas quentes, ensine estudantes e professores homens a não sexualizar partes normais do corpo feminino. Nós somos adolescentes de 13-17 anos de idade. Se você está sexualizando o nosso corpo, você é o problema.”

Graças a esse tipo de educação que aprendemos nas escolas, as mulheres acabam se tornando vítimas no cotidiano, as culpadas por sofrerem assédio. Torna-se certo e normal serem cantadas na rua pq não foi ensinado para os homens que eles devem respeitá-las. 

“Regras de vestuário reforçam a ideia de que meninas tem que “se cobrir” porque garotos serão garotos; reforçam a ideia de que assediar é da natureza do homem e que é responsabilidade das mulheres evitar esse tipo de humilhação; reforçam a ideia de que as roupas de uma mulher definem seu respeito próprio e seu valor.”

Me entristece saber que os conservadores não estão interessados em ler e entender o lado das mulheres. Já chegam com pedras na mão e acusam as meninas que lutam por essa liberdade e um mundo mais seguro, com argumentos do tipo: “Elas querem aparecer!”, “São mimadas e patricinhas!”, “Não sabem respeitar as regras.”, “Tem lugar certo para usar cada tipo de roupa”, “Agora vão querer usar biquíni para trabalhar!”, “É rebeldia de jovens.”, “Uma coisa tão sem importância no meio de uma crise.”, “Isso é falta de laço!” e etc.

Percebam que a maioria acha certo agredir e errado usar uma peça de roupa.

Compreendo que há algumas pessoas religiosas que possuem medo de contrariar os seus padres e pastores, mas pessoas que pensam assim por bel-prazer não faz nem sentido. A questão não é ser do contra para ser legal, a questão é que o seu machismo me afeta, pois sou mulher. Também afeta a sua mãe, sua irmã e sua avó. Inclusive afeta a ti mesmo, machista inconformado. Não é seguro para as mulheres andarem na rua sem sofrerem assédio. Não importa o quão bonita somos, o quão jovem ou velha, o quão bem vestida ou não, o quão gorda ou magra e muito menos o comprimento da nossa roupa, pois a única coisa que falta é o respeito por parte dos homens, que nunca foram ensinados na escola e muito menos em casa.

“Ao invés de ensinar que a minha decência e o meu valor dependem do comprimento do meu short ou do tamanho do meu decote, ensine aos homens que eu sou a única responsável pela definição da minha decência e do meu valor. Ensine aos homens o respeito, desconstrua o pensamento de que a roupa de uma mulher decreta se ela é ou não merecedora de respeito.”

sininhu sylvia santini shorts curto machismo girl power meu look blog got sin

Eu, juntamente com as alunas do Colégio Anchieta, recuso a obedecer as regras que reforçam e perpetuam o machismo, a cultura do estupro e slut shaming.

Ajude assinando o abaixo-assinado delas também!

8 comentários sobre “A polêmica do shorts na escola

    • sininhu disse:

      “Analfabetismo funcional é a incapacidade que uma pessoa demonstra ao não compreender textos simples. Tais pessoas, mesmo capacitadas a decodificar minimamente as letras, geralmente frases, sentenças, textos curtos e os números, não desenvolvem habilidade de interpretação de textos.”

      Curtir

  1. Mari disse:

    Isso é ridículo! É uma instituição particular, se tem regras, elas devem ser seguidas! Nada tem a ver com machismo/feminismo/religião! Tentar entrar num fórum, vestido bermuda, sendo homem ou mulher, pra ver se tu entra! Não! Em dias quentes vc acha que os homens nesses fóruns vão trabalhar de regata e bermuda? Não! No minimo são dispensados do uso do terno. Pq?? Porque é um local que existe regras para vestuário! DUVIDO que alguma dessas vá para um casamento de shortinho! Quando elas forem para a vida adulta, quantas empresas você acha que vai permitir usar shortinho? Principalmente se tiver obrigatoriedade do uso da farda! Tenho um professor, que ele não permite, no curso de direito da faculdade, que os meninos, veja bem, os homens não podem assistir aula de bermuda, regata, chinela ou boné! E ai? Teu machismo fica aonde?

    Curtir

    • sininhu disse:

      Oi Nanny Fernandes, ou Mari, seja lá que nome fake vc gostaria de ser chamada.

      O meu machismo fica na rua, toda vez que eu saio de casa e sou assediada por homens que receberam esse tipo de educação que as escolas estão passando, que acreditam que SE a mulher estiver usando um shorts ou qualquer roupa que seja é pq ela fez isso pensando nele, com intenção sexual. Falta a educação para que os meninos aprendam a RESPEITAR TODAS as mulheres, independente da roupa que elas estejam vestindo. Usar um shorts não dá o direito de assédio. Aliás… NADA dá esse direito! Assédio é CRIME! Vc como estudante de direito deve saber muito bem disso.
      É sobre isso que as meninas desse colégio estão lutando, caso não tenha conseguido interpretar o texto delas ou o meu. Basta de ensinar que as mulheres são menos que os homens, que são objetos sexuais. Basta de sexualizar meninas de 13 anos achando que elas estão querendo usar shortinho por maldade e para “provocar” os meninos.
      Que o shortinho seja proibido por motivos diferentes – por não ser confortável, não ser roupa social, ou sei lá o q. Mas NUNCA proibir “pq vai atrapalhar os homens”!

      Ah, e com certeza nos fóruns há ar condicionado, já nas escolas não.
      Minha irmã trabalha no Tribunal do Trabalho e pode usar a roupa que quiser, bem como qualquer outro cidadão lá dentro. Por exemplo.

      Mas antes de mais nada, eu já sou totalmente contra escolas que ensinam os alunos a serem REBANHO, mais do mesmo, peões de empresas. Oras, se a escola é boa mesmo, que ensine os seus alunos a serem LÍDERES e criarem suas próprias empresas para seguirem suas próprias regras. Na empresa que eu tive (consultoria empresarial), sempre fui trabalhar vestida da forma que eu bem entendesse.

      Se tu acha certo ensinar alunos a serem medíocres cidadãos seguidores de regras ultrapassadas… que pena.
      Se tu é mulher e não sente o machismo toda vez que sai de casa… bom pra ti.
      Já eu e essas meninas não gostamos de receber cantadas e lutaremos pelo nosso respeito.
      Passar bem.

      Curtir

  2. Bianca disse:

    Nós mulheres temos o direito de usar a roupa que quisermos sim, porém acredito que ela deva condizer com o ambiente. Shorts são curtos e chamam atenção sim, mesmo os homens sendo respeitadores ou não, vão olhar. Está calor? Vá de bermuda. Short vc usa no lazer, pra sair, ir a praia, enfim, em locais permissíveis para a roupa. Agora ir em uma entrevista de emprego, atender um paciente, ir a um fórum, acho deselegante.
    E acho válido a escola desde cedo ensinar essa postura, já demonstra que estas instituições têm regras e nem tudo é como queremos que seja.

    Curtir

O que achou do post? Comenta aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s